By in março 24, 2016 • Filed in: Etc

Eu postei na página do Facebook, no Instagram, mas quero postar aqui também pois sinto a necessidade de compartilhar com mais gente. Escolhi uma foto minha que adoro para ilustrar esse post.

Tsuyami

Hoje eu li de uma mulher que vive me cutucando com mensagens estranhas, mas me segue há anos “você está ensinando mulheres casadas a terem comportamento de solteiras”.

O que define uma mulher solteira de outra casada? Qualquer definição que não seja feita pelo próprio marido e aceita pela esposa (ou vice versa), é uma definição errada.

Eu gostaria de mandar os parabéns para essa pessoa pelo seu comportamento machista em pleno 2016! Nós mulheres, somos livres independente do estado civil. Podemos rebolar, beber, sair com os amigos, ter amigos, usar roupa curta… Simplesmente pq o compromisso não se define apenas no que é mostrado, mas sim no que o casal tem e ninguém vê, nem divulgam.

Quem acha que a mulher tem de se comportar diferente pois casou é a mesma pessoa que julga quem tem uma religião diferente ou quem não tem religião. É essa pessoa que se prende aos estereótipos impostos pela sociedade e nos deixa quadrados. Ser quadrada e preconceituosa não se define apenas ao modo como você leva a sua vida, mas sim como julga o modo que as outras pessoas levam as delas.
Fico extremante triste com esse tipo de julgamento e preconceito, pois deixa o nosso mundo mais chato e sem evolução, deixa a mulher presa a várias vontades. Temos o direito de fazer o que quisermos e qualquer parceiro que não concorde, merece um pé na bunda. Quantas mulheres estão infelizes na situação que estão pois arrumaram um companheiro machista? 

Estou rebolando e curtindo a vida enquanto a dela está apenas passando da forma mais amena possível. Acho que tem uma harpa tocando na trilha sonora da sua vida. Que sono! Zzzzzzzz.

Finalizo o post com uma mensagem que recebi e faço dessas palavras, as minhas também

O que falta na vida dessa mulher é compreender que somos livres e sair das amarras do machismo nosso de todos os dias. Muitas, mas muitas mulheres e meninas já são ensinadas desde cedo “como ser uma mulher direita” e tudo que foge disso causa espanto. E esse “ensinamento” não é só por parte de família, mas toda uma sociedade. Espero que ela consiga tirar de si esse pensamento em relação a outras mulheres.

Tsuyami, sempre que ouço músicas que falam coisas “casei, vou sossegar” ou pessoas que afirmam que não namoram porque vão ficar limitadas, eu lembro e uso você e seu marido de exemplo. Por isso, te sigo há anos, por sua autenticidade e estilo. Por ser livre e mostrar que mesmo casada você é o que é e que existe casal fora dos “modos convencionais”.

Thais Bonareli

assintsuy