By in setembro 28, 2016 • Filed in: Viagens, Video, Vlog

Oiii, tudo bem? Mais um post sobre o mochilão, dessa vez, com o nosso primeiro destino: Amsterdã.

Começamos nosso roteiro por Amsterdã, que não tem nada de próximo das principais cidades da nossa viagem, mas já que a opção de voo mais barato era com escalas, optamos por um que ficasse várias horas em Amsterdã.

Confesso que Amsterdã nunca esteve na minha lista de desejos de cidades para conhecer. Claro que eu gostaria de conhecer, mas não estava nas minhas prioridades ou planos, tanto é que a cidade só fez parte do roteiro por pura coincidência do destino, vulgo economizar dinheiro.

amsterda

ams

Eu pensava “ok, se eu for pra Amsterdã vou fumar uma maconha de buenas, vou ver as putas nas vitrines da red light e the end”. QUE NADA!

Claro que fumei maconha, claro que vi as putas. Mas não foi tão básico assim, o mais legal não foi exatamente dar um tapa na pantera, mas ter um cardápio de diversas opções para fumar, ver velhinhos saindo das casas de maconhas, pessoas NORMAIS. Diferente do Brasil, que é só você pegar na Marijuana que é julgado de maconheiro vagabundo.

Estar na rua das putas, não é apenas ver putas na vitrine… até pq não é apenas uma rua, mas várias. Lotado de turistas de todos os tipos, nacionalidades e idades. Desde jovens muito bêbados, até famílias com bebês de colo. As putas não são apenas putas, muitas delas são lindas, parecem modelos, admirei sem vergonha.

O mais óbvio e clichê de se fazer em Amsterdã não é apenas “ok”, é muito louco! Eu estaria agora mesmo, nesse exato momento, na rua das putas e em alguma casa de maconha, só analisando mesmo. É legal demais analisar as diferenças culturais. Estar num lugar mais liberal, evoluído, seguro. Andamos de madrugada pelas ruas da cidade mais liberal do mundo e nada nos aconteceu. Medo de ser assaltado? O que significa isso?

Você chega em Amsterdã e já nota as diferenças, desde om estilo dos jovens (super estilosos) até a arquitetura, que é um espetáculo. Tijolinhos de diferentes tipos, bem antigos.

Eu sequer sabia que existiam vários canais na cidade, que até deixam a cidade, segundo muitas pessoas com um ar meio Veneza. Achei lindo.

A cidade da prostituição e drogas legalizada é também muito romântica.

ams

ams

ams

ams

Uma das várias coisas que me chamaram muito a atenção por lá foi a quantidade de bicicletas. Parece que tem uma para cada habitante, mas a impressão que dá é que tem muito mais, eu podia jurar que vi bicicletas andando sozinhas.

Você tem que tomar cuidado para não ser atropelado, pra nós do Brasil que não estamos acostumados com ciclovias, é super fácil confundi-las com calçadas, haha.

O mais sensacional é que as mulheres andam de vestido, mostrando tudo as calcinhas e ninguém olha (exceto eu que olhava mesmo). Cultura de primeiro mundo é outra coisa, né? Por aqui, a mulher não pode nem usar uma saia que os homens bobos otários idiotas necessitados já ficam tudo babando.

ams

A política holandesa sobre drogas tem tido certo sucesso em comparação às políticas de outros países, especialmente em relação à prevenção e cuidado. O número de usuários dos vários tipos de drogas não é maior que em outros países, enquanto o número de mortes relacionadas às drogas, de 2,4 por milhão de habitantes, é o menor da Europa.

Fonte: Holland.com

É praticamente de lei dar um tapa na pantera quando se vai para a Holanda, comigo não foi diferente, óbvio.

Só se pode fumar nos coffeeshops espalhados pela cidade, mas o dono disse que eu podia fumar do lado de fora, então fumei. O cheiro da marijuana toma vários lugares da cidade, ninguém fica abismado ou achando esquisito, é apenas um aroma como qualquer outro para os holandeses.

Para comprar a droga, você tem que ser maior de 18 anos (eles pedem documento de identificação) e não pode comprar mais do que 5g da droga em um mesmo dia. E se você for pego na rua com uma quantidade maior que 5g, tá lascado.

Haviam me falado que esses coffeeshops são extremamente turísticos, que só tem turista fumando, que o povo de lá nem frequenta esses lugares. Pois bem, é mentira! Pelo menos no coffeeshop que fomos, éramos os únicos turistas.

Abaixo está uma fatia de um bolo de maconha e as instruções:

“Por favor tome cuidado e siga as instruções:

Esse bolo é muito forte e um pedaço contém 10 g

Se você nunca usou cannabis, coma apenas 1/4 do pedaço e espere duas horas para sentir os efeitos.

Se você já usou, coma apenas metade e também espere duas horas.

Se os efeitos forem muito fortes, beba algo bem doce (coca cola, suco).

Aproveite!”

ams

Eu não provei o bolinho pois sou cuzona pra cacete. Tenho amigos que comeram e tiveram alucinações, eu não quis arriscar, odeio alucinações. Hahaha.

ams

Abaixo está o cardápio das maconhas, pedimos sugestão pra esse senhor que parecia ser dono do estabelecimento e fumava sem parar. Escolhemos a mais fraca de todas.

ams

Eu dificilmente vou para alguma cidade e fico querendo voltar (exceto por Orlando e Buenos Aires que eu iria duas vezes por ano, todos os anos da minha vida), mas assim que sai do aeroporto já fiquei imaginando voltar a cidade com os meus pais, com a minha irmã, com outros amigos… Definitivamente, Amsterdã me apaixonou. s2

assintsuy